Férias de meio de ano no exterior: o que se precisa saber para fazer o planejamento financeiro dos gastos na viagem

27/06/2019 16:33 | Viagem

Viagem - Férias de meio de ano no exterior: o que se precisa saber para fazer o planejamento financeiro dos gastos na viagem


Na correria antes da viagem, muitas vezes o viajante deixa em segundo plano a importante tarefa do planejamento financeiro das despesas no decorrer da estada no exterior. Com a passagem paga e hospedagens ou pacotes reservados, resta decidir como vai se pagar as despesas durante a viagem.

Há três opções principais, cada qual com vantagens e desvantagens: levar dinheiro em espécie (cash) na moeda do país de destino ou em dólares norte-americanos e trocar quando chegar; levar um cartão de viagem pré-pago carregado aqui no Brasil com moeda do país de destino; ou pagar todas as despesas com cartão de crédito internacional.

De cara, cabe frisar que é importante ter no bolso algum dinheiro em espécie. Despesas como corridas de táxi, souvenires e quitutes nos mercados de rua, em geral, só podem ser pagas em cash.

Uma das vantagens do dinheiro vivo é exatamente a aceitabilidade. Das pequenas a grandes despesas, tudo pode ser pago com o dinheiro local. Outra vantagem é o câmbio para compra da moeda estrangeira aqui no Brasil, que é sempre melhor (mais baixo) do que o câmbio para carregamento no cartão pré-pagos e pagamento da fatura de cartão de crédito. A terceira vantagem é que a alíquota do IOF que incide na compra de moeda estrangeira em espécie é de 1,10%, menor do que as das operações com cartões.

A grande desvantagem do dinheiro vivo é o risco. Em caso de roubo, furto ou perda, o viajante não terá nenhuma forma de reembolso. Há formas de minimizar o risco, com o uso daquelas pochetes presas na barriga, cofres nos hotéis e a distribuição dos maços de dinheiro entre os adultos da família ou grupo, mas o fato é que a segurança é um problema.

Na hora de comprar moeda estrangeira, certifique-se que a casa de câmbio é credenciada ao Banco Central e emite recibo de venda, como é o caso das casas que fazem parte da plataforma BomCâmbio (www.bomcabio.com.br). A plataforma oferece também ao viajante a vantagem de obter desconto na compra da moeda, já que as casas de câmbio disputam a demanda do cliente oferecendo taxas mais competitivas.

Cabe também lembrar que o viajante deve informar na sua declaração de imposto de renda as compras de moeda estrangeira superiores a US$10 mil. Não é necessário declarar compras abaixo desse valor.

A grande vantagem dos cartões é a segurança. Se o viajante perder ou tiver o cartão roubado ou furtado, ele não tem prejuízo financeiro. É claro que há a dor de cabeça do cancelamento do cartão e pedido de novo cartão, que pode demorar. No caso do cartão pré-pago, uma dica é guardar as vias (em geral, o comprar recebe dois cartões) em locais e com adultos diferentes. Se perder um dos cartões, tem o outro. No caso do cartão de crédito, é bom levar dois, por exemplo, um Visa e um Mastercard. Perde um, cancela e usa o outro. Não se esqueça de desbloquear os cartões para uso nos locais de destino.

Os cartões apresentam algumas desvantagens. No momento do carregamento (no pré-pago) e pagamento da fatura (no crédito), há a incidência do IOF de 6,38%. Além disso, as taxas de câmbio para o carregamento dos cartões pré-pagos – em instituições como Banco Rendimento, Banco Daycoval e Visa Travel Money – e pagamentos das faturas de cartão de crédito são sempre superiores às praticadas pelas casas de câmbio na hora da venda de dinheiro em espécie. Ou seja, o viajante vai ter que pagar um pouco mais para usar cartão na viagem.

A outra desvantagem dos cartões é a não aceitação para vários tipos de transações. Em geral, as pequenas transações e as informais são feitas em cash. Mesmo em alguns estabelecimentos formais em países desenvolvidos, por exemplo, num café de bairro em Roma, o comerciante pode torcer o nariz para os pagamentos com cartão.

E qual é o melhor tipo de cartão? Vai depender do perfil do viajante. Se ele tem disciplina financeira e reservas no banco, o cartão de crédito é uma boa opção: ele deixa o dinheiro aplicado, paga a fatura cheia no vencimento e ainda ganha pontos no programa de fidelidade do cartão. Para a maioria dos viajantes, talvez o melhor seja economizar o valor necessário para a viagem, carregar o cartão pré-pago e não ter que se preocupar mais com as contas.

Resumo da ópera, dinheiro vivo é mais barato e mais prático, mas é arriscado. Os cartões são mais seguros, mas são mais caros e não são aceitos em todos os lugares. Nossa sugestão é fazer um mix de dinheiro vivo com pelo menos um dos tipos de cartão. Por exemplo, estime os gastos na viagem, compre a metade em cash pelo BomCâmbio e pague o restante com um dos dois tipos de cartão, o que mais se adequar ao seu perfil. Planejamento feito, agora é esquecer os problemas e aproveitar a viagem.

A plataforma Bomcâmbio oferece também remessa internacional, conversor de moeda, cotação do dólar hoje e operações de câmbio com moedas estrangeiras tais como euro, libra, peso argentino, dólar canadense, dólar australiano entre outras. As pessoas que estão viajando a turismo ou a negócio realizam a compra da moeda desejada em espécie ou cartão de viagem, com as casas de câmbio credenciadas com o Banco Central.

Todos os Posts

Intercâmbio no exterior: modalidades, benefícios e planejamento financeiro

Pedro Henrique, universitário da PUC do Rio de Janeiro - RJ, dá dicas de utilização do BomCâmbio

Radio BandNews entrevista CEO da plataforma BomCâmbio

Compra de moedas estrangeiras já pode ser parcelada no cartão de crédito

Casas de câmbio em São Paulo, Rio de Janeiro e demais capitais

Dicas de como comprar e vender moedas

Viajar para Argentina: o que você precisa saber antes do embarque

Viajar para Austrália: o que você deve saber antes de conhecer o país

Cuidados para uma viagem internacional tranquila

Dólar falso: veja dicas de como identificar

Como fazer intercâmbio no Canadá: descubra os primeiros passos

Fazer intercâmbio no Canadá: o que você precisa saber antes da viagem

Dinheiro vivo ou cartão de débito internacional: qual a melhor opção para sua viagem?

Como estudar na Europa com cidadania: conheça o procedimento

Intercâmbio na Europa: conheça as principais dúvidas de intercambista

Visto D2 Portugal ou visto do Empreendedor: saiba o que é

Como tirar visto para os Estados Unidos? Conheça as etapas

Que moeda levar para o Chile? Confira aqui

Que moeda levar para Argentina?

Investir em dólar: veja dicas de especialistas

Como enviar dinheiro para o exterior de um jeito seguro

Quantos dólares posso levar para os EUA, em dinheiro vivo?

Dólar americano ou dólar canadense? Entenda as diferenças

Dólar Hoje: acompanhe a melhor cotação

Cartilha de Câmbio para envio e recebimento de valores

Transferências de dinheiro para o exterior

Site XCLIPPING divulga em seu portal, dicas de como comprar dólar.

Onde comprar dólar barato no Rio de Janeiro

CEO da Palataforma BomCâmbio dá dicas para compra de dólar na hora de viajar a turismo ou negócios

A Plataforma BomCâmbio dando dicas, como especialista, sobre cotação do dólar ao portal Meu Destino. Confira matéria na íntegra

Dólar turismo ou dólar comercial? Conheça as diferenças

Como comprar dólar turismo ou comercial: faça a melhor transação

Confira no Jornal Monitor Digital matéria sobre a Plataforma BomCâmbio

Câmbio em papel moeda, cartão pré-pago ou remessa online

Como morar na Espanha: entenda o custo de vida para viver na Europa

Como morar em Portugal: confira as dicas que preparamos para você

Cotação do dólar: saiba como realizar a melhor transação

Como comprar ou vender dólar com a menor taxa de câmbio?